quarta-feira, março 14, 2007

OS MEUS VERSOS PREFERIDOS DE SALOON (edições mortas, 2007),
DE ANTÓNIO PEDRO RIBEIRO

A rua é sempre a mesma/ Acima abaixo abaixo acima
pág.7

o país a arder/ e eu a beber
pág.18

Tenho mulher/ E a tv estoira/ Bombardeia afegãos
pág. 21

Imaculada/ Levantaste-me do túmulo/ E levaste-me pela mão de Deus/ Para fora dos bares e dos artifícios do demo
pág.24

A noite morre/ Aos poucos/ No café das conversas/ Um aquecedor protege-me do frio/ E os homens que bebem pedem rissóis/ Ao som de música minimal repetitiva//(...)//A noite morre/ Mas ainda há gente que ri
pág.27

E não consigo vestir a máscara/ E não consigo despir a cara
pág.31

Os personagens repetem-se/ trocam cadeiras/ no café central//Estou a cair de velho/ mas escuto deliciado/ as conversas das adolescentes//Não sou o mesmo/ perdi a lata/a pose excêntrica
pág.32

Tempo de caos/ Apontas-me os erros/ E os fracassos/ Afastas-te/ Deixas-me em cacos//Tempo de caos.
pág.36
Agarrados ao telemóvel/ como à piça
pág.40

No café "Oceano"/ os pensionistas protestam contra/ os fracos aumentos das pensões/decretados pelo Governo/ mas misturam o tema/ com a toxicodependência/ e com a pedofilia na Casa Pia
pág.45

1 Comments:

At 5:44 da manhã, Blogger apedroribeiro said...

obrigado.

 

Enviar um comentário

<< Home